Conheça incríveis parques lineares pelo mundo

Eles podem ser encontrados em grandes cidades no mundo todo, como compridas ilhas verdes em meio à cinzenta paisagem metropolitana. Os parques lineares, também chamados de greenways (“corredor verde”, em português), são estruturas urbanas que conectam áreas verdes dentro das cidades e estão normalmente associadas a cursos d’água, como rios e córregos, explica o arquiteto e engenheiro agrônomo Frederico Karam, sócio-diretor da Inflorescência Paisagismo.

“No entanto, nas últimas décadas, saíram desse formato, sendo construídos sobre caminhos elevados, como o Promenade Plantée de Paris, inaugurado em 1993, que foi precursor deste novo uso para instalações então obsoletas”, conta Karam.

Há exemplos de parques lineares construídos sobre antigas ferrovias — caso do High Line, em Nova York — e rodovias, ao longo de muralhas e até de linhas de transmissão de energia elétrica.
Segundo Karam, sob a ótica do uso pelas pessoas, os parques lineares são muito interessantes porque se configuram como uma longa ligação entre pontos distintos das cidades, tornando-se rota para muitos usuários que fazem percursos pelo verde. “Ambientalmente, são muito eficazes, porque funcionam como um corredor para a fauna que se adapta às cidades”, acrescenta.

Conheça a seguir exemplos de parques lineares que tiveram impacto positivo nos locais onde foram implantados.

 

High Line – Nova York

High Line foi construído sobre uma linha elevada de trem que seria demolida

O High Line é um parque de 2,5 quilômetros construído sobre uma antiga linha de trem elevada no Oeste de Manhattan. Salva da demolição graças à ação de moradores e do Departamento de Parques e Recreação da prefeitura de Nova York, a ferrovia foi transformada em um parque, inaugurado em 2009 como espaço público híbrido que conecta natureza, arte e design.

O paisagismo, inspirado nas plantas que cresciam ao longo dos trilhos em desuso, e a vista da cidade e do rio Hudson são algumas das principais atrações. Trechos da antiga ferrovia ainda estão presentes em alguns pontos. Instalações artísticas e um calendário de eventos culturais realizados ao longo do ano atraem milhares de visitantes diariamente.

O sucesso do High Line, que, ao transformar uma estrutura obsoleta em um novo espaço público, causou um boom imobiliário nos arredores, inspirou outras iniciativas similares nos Estados Unidos e em outros países.

 

Domino Park – Nova York

O Domino Park nasceu de uma antiga refinaria de açúcar no Brooklyn

O Domino é um parque de 24 mil metros quadrados localizado ao longo do East River, no Brooklyn, em Nova York. Foi construído no local de uma antiga refinaria de açúcar, a Domino, que no seu auge chegou a produzir 98% do açúcar consumido nos Estados Unidos. O parque é um tributo à diversidade e à resiliência de gerações de trabalhadores e de suas famílias.

A inauguração do parque, em 2018, permitiu que essa área da orla fosse aberta ao público pela primeira vez em mais de 160 anos. O parque tem uma passarela elevada que proporciona uma vista privilegiada dos arredores e também de Manhattan, do outro lado do rio.

O Domino Park tem playground para crianças, cachorródromo, quadra de vôlei e cancha de bocha, estas duas últimas instaladas como homenagem às comunidades locais, que incluem descendentes de imigrantes do mundo inteiro, muitos deles latinos. Na construção do parque, muitos elementos e estruturas da antiga refinaria foram reaproveitados, como a madeira utilizada para fabricar bancos e cadeiras.

 

Parque de La Familia – Santiago

O Parque de La Familia fica às margens do rio Mapocho, em Santiago

Localizado na zona Oeste de Santiago, o Parque de La Familia foi inaugurado em 2015 e é o único parque urbano fluvial do Chile. O objetivo do projeto foi valorizar as margens do rio Mapocho, reabilitando uma zona industrial degradada que se integra através do canal. O parque transformou completamente a paisagem local ao integrar arquitetura, paisagismo e uma laguna criada com água proveniente do rio Mapocho.

Com 200 mil metros quadrados, o parque beneficia 750 mil pessoas que moram nos arredores. Tem miradouros, fontes, playgrounds, anfiteatro para 600 pessoas e dois campos de futebol.

 

Rose Kennedy Greenway – Boston

O Rose Kennedy Greenway foi implantado sobre uma antiga rodovia em Boston

Localizado na área central de Boston, nos Estados Unidos, o Rose Kennedy Greenway surgiu a partir do projeto conhecido como Big Dig, no qual a principal rodovia que cruzava a cidade foi substituída por túneis. Essa antiga rodovia deu lugar a um parque linear de 2,4 quilômetros que inclui jardins, passeios, fontes, intervenções artísticas e passa por diferentes bairros da cidade.

Esse parque linear é formado por seis parques menores, cada um com características e atrações próprias, que conectam diferentes partes da cidade em um grande trajeto a pé. Sedia eventos culturais e artísticos e festivais gastronômicos que atraem um milhão de visitantes por ano.

Por tudo isso, o Greenway de Boston é um excelente exemplo de reutilização de uma estrutura obsoleta da cidade em benefício da população.

 

Parque Tiquatira – São Paulo

O primeiro parque linear de São Paulo foi construído ao longo do córrego Tiquatira

Considerado o primeiro parque linear da cidade de São Paulo, o parque Engenheiro Werner Eugênio Zulauf, conhecido como parque Tiquatira, foi implantado ao longo do córrego Tiquatira, no bairro da Penha, e tem 320.000 metros quadrados.

Construído para ajudar na preservação e conservação do leito do córrego, ele também tem a função de garantir uma faixa segura de ajardinamento e arborização entre as vias urbanas e o córrego.

Seus principais atrativos incluem quadras poliesportivas, campos de futebol, pistas para corrida, caminhada, ciclismo e skate, áreas de convivência e anfiteatro. O projeto de paisagismo permite que o visitante circule em meio a uma grande variedade de árvores, plantas e flores nativas da Mata Atlântica, e observe diferentes espécies de pássaros e outros animais de pequeno porte.

 

Central Park – Passo Fundo

Novo bairro de Passo Fundo terá parque linear como ponto central

Um parque linear de 18 mil metros quadrados, planejado com áreas para lazer, convivência e atividades físicas e povoado de vegetação nativa será o ponto central do novo desenvolvimento imobiliário de Passo Fundo, o Central Park.

Com projeto que estimula os moradores a caminhar e curtir o bairro a pé, o parque será de fácil acesso a todos graças ao formato linear. Pensado para a realidade da cidade, ele terá avenidas com ciclovias no canteiro central, projeto de paisagismo e arborização, passeios pavimentados ao longo do parque para caminhada, espaços para convivência, playground, academia ao ar livre, mobiliário urbano e projeto de iluminação.

A exemplo de outras cidades em que parques lineares foram construídos, a perspectiva é que o projeto resulte na valorização dos imóveis da região nos próximos anos. Muito mais que um bairro planejado, o Central Park deverá se consolidar como região nobre de Passo Fundo para quem deseja construir uma casa para morar ou investir.

 

Foto High Line: David Berkowitz
Foto Domino Park: Kelly Verdeck
Foto Parque de La Familia: Jctorresd1
Foto Rose Kennedy Greenway: Massachusetts Office Of Travel & Tourism
Foto Parque Tiquatira: Prefeitura de São Paulo
Foto Central Park: Melnick Even Urbanismo – imagem ilustrativa

assista o vídeo do

empreendimento

Receba CONTEÚDOS DE NOSSOS

Lançamentos
e novidades